O Poder da Música

08 setembro 2017


É impossível imaginarmos como seria viver em um mundo sem música. Praticamente tudo é movido pela música. Seja em um filme, em uma peça de teatro, seja na igreja ou ate mesmo fazendo nossos deveres domésticos. Isso porque a música tem o poder de mexer com o nosso organismo e nossa mente. Por exemplo, quando entramos em uma academia, sempre tem uma música agitada tocando no fundo, claro, com a intenção de que as pessoas façam seus exercícios no mesmo ritmo da música e isso funciona perfeitamente. Em outros casos, a música também tem o poder de nos acalmar. Por exemplo, neste momento, para escrever esse texto estou ouvindo as músicas da orquestra UNASP, que me acalma e aumenta a minha concentração.

A música é uma das mais perfeitas obras do Criador e Ele fez dela, a atmosfera do Céu. A melodia de louvor é a respiração dos anjos. Sob o sorriso de Deus e sobre a Terra recém-criada, linda e perfeita, “as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam” (Jó 38:7). Em ligação com o Céu, os corações dos seres humanos tem correspondido a bondade de Deus com notas de louvor.

Quando é empregada de forma correta, a música tem a capacidade de trazer paz ao mais aflito coração e une os mais diversos tipos de pessoas com culturas e gostos diferentes. Deus nos convida a seguir nossa caminhada com alegria, como os filhos de Israel que se alegravam por meio de músicas e cantos sagrados enquanto caminhavam pelo deserto.

Há poucos meios de fixar Suas palavras em nossa memória do que repeti-las em cânticos. Eu, particularmente, gosto muito de cantores que “cantam a Bíblia”. Por exemplo, Daniel Ludtke gravou um álbum com letras dos Salmos e alguns versículos tenho guardado em minha mente (algo quase que impossível em uma mente de formiga). Esse poder da música de fixar em nossa mente, em especial, nos auxilia em muitos momentos da nossa vida. Quando estamos tristes, vem aquela música na nossa mente que ouvimos semana passada pra nos confortar e nos dar alivio (ou desabarmos no choro de vez). Quando alguma tentação me cerca, quase que instantaneamente vem na minha cabeça Leonardo Gonçalves cantando: “Nada vai me separar, do Teu amor meu Cristo, nada vai!”.

No culto, o momento de adoração e louvor é tão importante quando a oração. A música em si é uma oração a Deus. Prova disso são os Salmos, que também continham hinos e louvores a Deus. É o meio que Davi utilizou para expressar seus sentimentos e fazer pedidos sinceros a Deus. Ele engrandece o nome de Deus, louva com alegria e também pede proteção a Deus em momentos de perseguição, como no Salmo 3, que foi escrito em um momento onde seu próprio filho Absalão estava o perseguindo, não somente para ocupar o seu lugar no trono, mas também para matá-lo. Quando cantamos louvando a Deus, estamos pedindo para que a letra da música se concretize em nossa vida.

Assim como o poder da música é grande para nos fortalecer e nos edificar, louvar a Deus e adorar o Teu Santo nome, a música também tem o poder devastador de acabar com a comunhão com o Pai. O nosso contato com o Céu é desligado quando consumimos músicas que não foram feitos para esse propósito. Lúcifer, antes da queda, era o maior anjo que existia no Céu, o maior musico, regente do coro celestial. Ao ser expulso junto com os anjo que o apoiaram, ele passou a reinar nesse mundo e após a entrada do pecado, Lúcifer luta para que os filhos de Deus se percam, distorcendo tudo que é santo, em algo profano. Infelizmente, a música não ficou fora disso e hoje é um dos meios mais eficientes de tirar jovens da igreja. O inimigo faz com que todos esses poderes da música, faça efeito na mente das pessoas de forma negativa, afastando seu olhar de Deus e tirando o foco do que é divino abrindo brechas para o que não agrada o coração de Deus. Muitos lugares tocam músicas que são verdadeiras obras do inimigo. Lugares propícios a brigas, bebedeira e consumo de drogas. Esse não é o lugar de um cristão, pois os anjos do Senhor não habitam tais lugares. Não há comunhão entre luz e trevas!

É claro que não vamos generalizar, há sim música boa que não oferece risco em nossa mente, mas quanto mais evitar, melhor. Mas cristão que é cristão tem que ter sua casa construída na rocha! Nossos ouvidos devem estar purificados para que assim, possamos purificar nossa mente e receber o Espírito Santo em nossa vida. Assim como limpamos nossa casa para receber uma visita especial, precisamos limpar a nossa mente para que Deus habite nela e praticarmos o que é de Seu agrado.

 Que Deus vos abençoe, forte abraço!




Um comentário:

  1. 😍 amo esse álbum do Daniel Ludtke. Gosto de hinos suaves, acredito que ouço mais a voz de Deus assim. Gosto muito de naielly Leite, Suzanne Hirle, Fernanda Lara, Felipe Valente. ❤

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.